HOBBY IMPORTS MODEL

HOBBY IMPORTS MODEL
TUDO PARA O AEROMODELISMO ELÉTRICO

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

11º Festival de Aeromodelismo Colatina - ES

        OLA MEUS CAROS AMIGOS.
 
        ESTA CHEGANDO A HORA, VENHAM PARTICIPAR DESTE TRADICIONAL ENCONTRO DE AEROMODELISMO, ESTE QUE SERA O ULTIMO DO ANO DE 2011, AS INSCRIÇOES SERAO FEITAS NO LOCAL, NO VALOR DE 40,00 REAIS PILOTO E 30 REAIS ACOMPANHANTE.COM DIREITO AO JANTAR E SERTEIO DE BRINDES E TROFEUS. OS HOTEIS PARA  RESERVAS SAO  NOVO HOTEL GIRASOL E PLENOTEL, TENDO TBM OUTROS  COLATINA HOTEL . NO MAIS E ISSO AI GENTE CONTO  COM A PARTICIPAÇAO DE VCS NO DIA.
 
                ATT CARLOS MARIANELLI


INSCRIÇÃO 40 reais Piloto incluido jantar de confraternização
30 reais para acompanhante incluido jantar de confraternização

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Fotos Aereas do Instituto Federal de Educação Ciencia e Tecnologia de Rio Pomba



Ola meus amigos aproveito para Divulgar que estão abertas as inscrições do Exame de Seleção e Vestibular 2011 para varios cursos Técnicos e Superiores da Rede Federal de Ensino 
IFET RIO POMBA

 CURSOS GRATUITOS DE QUALIDADE A NIVEL FEDERAL
           FAÇA JÁ SUA INSCRIÇÃO
            DIVERSOS LABORATORIOS 
          CURSO DE GRADUAÇÕES COM CONCEITO A




         


GARANTA JÁ SUA VAGA NO MERCADO DE TRABALHO







ABAIXO FOTOS AEREAS TIRADAS PELO CLEITON SERVIDOR  FEDERAL DA INSTITUIÇÃO PARA DIVULGAÇÃO DO CAMPUS





   Ponto de Lançamento da Asa Zag 2822 2200mah Piloto Cleiton


Acesse o site http://www.riopomba.ifsudestemg.edu.br


Cursos Superiores

Licenciatura em Matemática
Ciencia e Tecnologia em Alimentos
Tecnologia em Laticinios
Admnistração de Empresas
Ciência da Computação
Agroecologia 
Zootecnia

Cursos Técnicos

Técnico em Alimentos
Técnico em Informática
Técnico em Agropecuaria
Técnico em Zootecnia
Técnico em Administração

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Voo Livre, Um Sonho a vespera de Acontecer....

        
      Voo Livre, Um Sonho a vespera de Acontecer.... 
Pretendo em breve fazer um curso de Voo Livre de Para-Pente em Astolfo Dutra, antes estou pesquisando mais sobre o assunto, ja é um sonho antigo antes mesmo deu gostar de Aeromodelismo, mas na época o medo falou mais alto e preferir fazer o cusrso de Aeromodelismo em Ubá com o isntrutor Mateus, o tempo passou hoje com 28 anos masi maduro e com Adrenalina pulsando na veia, e a oportunidade apareceu e achei que é a hora certa, em Novembro começo o curso de Para-pente e espero trazer para voces amigos do Aeroloucos fotos e videos dos meus treinamentos. Segue um breve historico sobre este esporte também maravilhoso...
            Credito da reportagem do site http://vertigens.com
            Fotos retirado do Google imagens
                                                 

A capacidade de voo do parapente está intimamente ligada à forma como o parapente voa e se mantém no ar. Conheça os aspetos principais que afetam a capacidade de voo do parapente e saiba que ao compreendê-los pode melhorar a sua eficácia e capacidade em navegar por entre os céus.
A capacidade de voo do parapente pode ser explicada por uma série de fatores que possibilitam a realização de um voo perfeito, longo e tranquilo. Dos mais importantes, destacam-se os seguintes:

A autonomia do voo

Um parapente pode manter-se em voo durante várias horas seguidas, pois a sua autonomia não está dependente de qualquer tipo de combustível, mas sim das condições atmosféricas, da experiência e resistência do piloto. Estas são as 3 condições essenciais para um voo de parapente e determinam o tempo que um parapente se mantém no ar.

As condições atmosféricas

O vento é um dos fatores mais importantes que condiciona a capacidade de voo de um parapente. O parapente consegue descolar, voar e aterrar, com ventos de 0Km/h a 20Km/h. Se forem superiores a esta velocidade, a prática do parapente está comprometida, até mesmo para os pilotos mais experientes, pois a dificuldade em manusear e controlar o velame é enorme. Daí o motivo dos ventos fracos e das condições térmicas moderadas serem o habitat natural para a prática deste desporto de aventura.

A força de planeio

A capacidade de um voo de parapente está intimamente relacionada com a força de planeio que é exercida sobre o parapente.Existe uma força de planeio máximo na ordem dos 9:1. Isto é, com 100 metros de altitude, o parapente voa uma distância aproximada de 900 metros. Logo, quanto maior for o número de térmicas (correntes de ar quente) que um piloto encontre ao longo da sua viagem, mais hipóteses tem em se manter a navegar por entre os céus.

A velocidade do parapente

A capacidade de voo de um parapente reflete-se na velocidade que atinge. A prática do parapente conduz ao estabelecimento de uma velocidade na ordem dos 45 km/h, o que em relação ao solo poderá transformar-se em 65 km/h, dependendo da componente do vento em relação à do voo. Dada a sua baixa velocidade e força de planeio, a fuga rápida das zonas descendentes, ou de turbulência, fica comprometida e isso constitui a sua maior desvantagem. Por outro lado, as aterragens podem ser efetuadas em terrenos de dimensões muito limitados, mas com uma grande precisão.

O parapente é um desporto notável graças à sua capacidade de voo e pelo facto de levar as emoções das pessoas ao rubro. Conheça como começa o voo do parapente e saiba que a sua capacidade de voo está intimamente ligada à força de planeio que apresenta.

O começo do voo

Para começar a voar, basta que o piloto se posicione na encosta de uma montanha e à medida que se vai deslocando no espaço, o ar vai embatendo no velame e, assim que a velocidade do ar for suficiente, isto é quando atingir os 25 a 30 km/h, o paraglider levanta voo por ele próprio.
No parapente a posição de voo é sentada. O piloto senta-se na selete, ou às vezes vai deitado com a parte da frente do corpo virada para cima, como se estivesse a dormir uma “soneca de barriga para o ar”. Posteriormente, a deslocação do parapente no ar acontece graças à existência das térmicas na atmosfera, que são correntes de ar quente que possibilitam a ascensão do parapente aos céus. Ao longo desta subida a velocidade que o voo atinge varia entre os 15 e os 45 km/h.

O planeio do parapente

O parapente apresenta uma força de planeio de aproximadamente 9:1, isto quer dizer que ao realizar 9 metros de viagem, o parapente desce um metro de altitude. Por outro lado, a falta de velocidade e de planeio impedem a fuga rápida das zonas descendentes e das zonas com muita turbulência e este é o grande ponto negativo do parapente.
Porém, esta lentidão no arrasto também é vantajosa quando é chegado o momento de aterrar. O parapente consegue pousar num espaço de curtas dimensões e com grande precisão. Prova disso mesmo são os campeonatos que se realizam ao nível da precisão de aterragem.